Destaque Notícias

Quase 30% das cidades do Ceará estão sendo atendidas por carros-pipa

Comunidades rurais de quase um terço dos municípios do interior cearense já estão recebendo água de carros-pipa. O quadro é de alerta, uma vez que a última quadra chuvosa, apontada como a terceira melhor das últimas duas décadas, chegou ao fim a menos de quatro meses.

O curto período já é suficiente para começar a esvaziar as barragens e secar as cisternas de muitas famílias. A chuva foi até suficiente para o plantio de legumes, afirmam os sertanejos, mas nem tanto para o armazenamento de água nos açudes de várias localidades. Deste modo, os moradores precisam do auxílio da operação federal Carro-Pipa para saciar a sede.Segundo o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), criado no início deste ano em substituição ao Ministério da Integração Nacional, atualmente 405 carros-pipa estão circulando em 54 municípios cearenses, atendendo 169.892 pessoas. Outras cinco cidades tiveram o pedido negado, contudo solicitaram revisão da análise e estão aguardam serem incluídas no programa, elevando para 59 o quantitativo de cidades assistidas por carros-pipa.

Em junho passado, antes que o fim do período de chuvas completasse um mês, eram 303 caminhões garantindo o abastecimento de cerca de 104 mil pessoas no Ceará residentes em áreas rurais. O aumento de beneficiados, em três meses, foi de 63%. O analista de Desenvolvimento Rural, Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), Daniel Camurça, reconhece haver dificuldades hídricas para atendimento humano a partir do meio do Estado seguindo para a região dos Inhamuns. A situação só não é mais grave, avalia ele, porque as adutoras instaladas nos últimos anos, interligadas aos açudes oficiais, estão atendendo várias localidades, antes somente abastecidas por carros-pipa.

Entraves

Entretanto, as coordenadorias da Defesa Civil de muitos municípios reclamam de dificuldades em conseguirem a liberação de rotas na Operação coordenada no Estado pelo Exército Brasileiro. A cada dia o número de reclamações aumenta diante da demora no atendimento das reivindicações de abastecimento das cisternas.

Soluções

Por nota, o MDR explicou que todos os ítens exigidos para liberação das rotas, isto é, a inclusão de comunidades rurais a serem abastecidas por carros-pipa, são regulamentados pelas Portarias Interministeriais 1/2015 e 2/2015. A Pasta não se manifestou quanto às queixas na morosidade da inclusão das cidades no status de situação de emergência. Já o Exército pontuou que cumpre apenas o papel de fiscalização e viabiliza a operacionalização do abastecimento emergencial de água para o consumo humano.

Cidades que estão sendo abastecidas por carros pipas: Aiuaba, Alto Santo, Antonina do Norte, Aracati, Araripe, Arneiroz, Assaré, Banabuiú, Bela Cruz, Boa Viagem, Campos Sales, Canindé, Caridade, Caririaçu, Cascavel, Catarina, Caucaia, Catunda, Cedro, Choró, Crateús, Crato, Icapuí, Icó, Ipu, Itapajé, Itatira, Jaguaribe, Jaguaruana, Lavras da Mangabeira, Madalena, Milhã, Mombaça, Monsenhor Tabosa, Morada Nova, Nova Olinda, Palhano, Parambu, Pedra Branca, Pereiro, Potiretama, Quiterianópolis, Quixadá, Russas, Saboeiro, Salitre, São Gonçalo do Amarante, Senador Pompeu, Solonópole, Tabuleiro do Norte, Tamboril e Tauá.

Situação da falta de água em Quixeramobim. Foto: TV Verdes Mares.

Mais 05 Cidades solicitaram nova avaliação para receber atendimento com os carros pipas: Acopiara, Deputado Irapuan Pinheiro, Quixeramobim, Milhã, Piquet Carneiro.

Alexandre Lopes – Radialista DRT 5722/CE. Pesquisa de Dados da Matéria: Jornal Diário do Nordeste – Edição deste Dia 19/09/2019.